Rua Afonso de Albuquerque, 23 B, Venteira - 2700-013 Amadora

  212 459 346 / 939 106 191

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram

Blog

  • Oi Clinic

Prótese Total sobre implantes: o que eu devo saber?


26.04.2020

Por Dra. Janaina Braga, Médica Dentista



São próteses totais (que reabilitam toda arcada superior ou inferior) apoiadas sobre um conjunto de implantes. Os implantes funcionam como as raízes dos dentes, que irão servir de base para a colocação das próteses. Estas atuam como os dentes em si e só podem ser instaladas após a cicatrização da colocação dos implantes.


A prótese total sobre implantes é indicado para pacientes desdentados totais (que usam dentadura) ou aqueles que necessitam extrair todos os dentes de uma arcada devido a doença periodontal (periodontite).


A reabsorção óssea (diminuição do osso), devido a perda dentária, dificulta a retenção e a estabilidade das próteses removíveis, causando inconformidade, dificuldade de mastigação, insegurança e baixa auto estima.



Reabsorção ou diminuição do osso mandibular no paciente edêntulo.



Desta forma surgiu o tratamento reabilitador protético com implantes osseointegrados, com o objetivo de reabilitar os desdentados totais, restabelecendo a mastigação, estética, harmonia facial, conforto e segurança.


As condições de saúde geral, anatômicas (quantidade e qualidade do osso), psicológicas e financeiras do paciente, vão orientar ao profissional no que se refere a eleição do tipo de prótese. É rotina, antes da colocação dos implante, solicitar a radiografia panorâmica e é confirmada a condição óssea, com a tomografia computadorizada.


O tratamento é realizado em 2 fases (fase cirúrgica e protética). 


Fase Cirúrgica


A distribuição de vários implantes promove a estabilidade da prótese e não compromete a osseointegração (que vai ocorrer no período de 2 e 6 meses, dependendo das condições ósseas).


Colocação dos implantes


Fase Protésica



- Prótese Total Fixa tipo Protocolo



O tratamento com prótese dentária tipo protocolo é uma das diversas soluções sobre o mundo dos implantes dentários atualmente. Só que a técnica para isso tem variações de materiais e encaixes que precisam ser bem explicados.


Ela é um tipo de prótese que oferece uma função mastigatória bastante eficaz e com um aspecto muito natural, assemelhando-se a uma arcada original. Ela é parafusada e fixa, porém completamente camuflada, apoiada em uma determinada quantidade de implantes (mínimo 4 na arcada inferior e 6 na superior).


Como a prótese é parafusada sobre implantes previamente instalados, alguns pacientes podem sofrer com a reabsorção óssea, o que é comum quando falamos de pessoas que perderam todos os dentes. E se isso acontecer, será necessário o uso de outros métodos, como os implantes zigomáticos ou o enxertos ósseos.


Já a etapa de reabertura, que acontece mais ou menos de 3 a 5 meses depois da cirurgia de fixação dos implantes (período para cicatrização do osso ao redor do implante e osseointegração do parafuso), os elementos protéticos são feitos. Normalmente leva de 4 a 6 sessões para finalizar o processo, salve se houver alguma complicação inesperada.


Nesta etapa protética, já se sabe o tipo de material irá ser confeccionada as próteses (escolha feita no planeamento, antes de começar todo e qualquer procedimento).


Tipos de materiais:


- Prótese Híbrida: é uma dentadura completa em acrílico, que se mantém fixa na boca, com auxílio dos implantes. Tem uma estrutura interna em metal e dentes de resina acrílica. Tem alguma gengiva artificial também de acrílico.


É a técnica mais tradicional, muito confortável, eficaz e de menor preço. O baixo impacto que este tipo de material traz sobre o osso que suporta os implantes dentários,  pode ser mais do que essencial para indivíduos com osso em quantidade ou qualidade deficientes. Tem resultados estéticos satisfatórios.


Traz no amarelamento, mais criteriosa na higienização e desgastes dos dentes, desvantagens óbvias comparadas às próteses dentárias em porcelana. Outro problema surge quando os dentes partem ou lascam, obrigando a remendos de cosmética com compósitos no tom dos dentes. Isto para evitar a total remoção e envio para laboratório, a fim de ser reconstruída.



- Prótese Total em Cerâmica: A diferença entre a prótese híbrida e a prótese cerâmica está nos materiais de cobertura, nomeadamente dentes de porcelana. Enquanto uma se assemelha mais a uma dentadura de acrílico, a outra é uma ponte total de cerâmica.

As técnicas com porcelana trazem durabilidade e estética em níveis elevados.



Independe do material utilizado, a reconstrução artificial do tecido ósseo e gengival reabsorvido é uma opção discutida entre pacientes e dentistas. Enquanto para alguns pacientes a parte gengival do protocolo protético pode ser um empecilho para a higienização da prótese, para outros é essencial para recompor a estética e suporte dos lábios – e para estes, investir na técnica com porcelana é fundamental para garantir que os resultados estéticos sejam harmônicos e naturais.



- Prótese Total Fixa All-on-four:


Este conceito permite a desdentados totais, com atrofia maxilar severa, a reabilitação com implantes, recorrendo ou não a enxertos de osso. São utilizados 4 implantes, para repor protesicamente todos os dentes.


O procedimento consiste em colocar dois implantes de dentes inclinados até 30 graus na zona posterior, onde existe falta de osso e muitas vezes a pneumatização do seio maxilar e dois implantes no setor anterior, permitindo aumentar a base de sustentação e aparafusar próteses (fixas) híbridas ou de cerâmica com doze dentes.


- Overdentures:

Assim como o protocolo as overdentures também são próteses totais apoiadas em implantes, porém são removíveis, ou seja, o paciente necessita remover a prótese para limpeza diariamente (nesse caso, os implantes ajudam mais na retenção da prótese do que no suporte).


Para sustentar uma overdenture são necessários de 2 a 4 implantes e deve-se aguardar a integração óssea, para então ativar o sistema barra clipe ou attachments (a prótese depois de encaixada oculta estes sistemas de encaixe), já que a disposição dos implantes não é capaz de promover a mesma estabilidade conseguida no tratamento com protocolo sobre implante.


Este sistema da prótese removível de encaixe, permite que o portador remova a prótese para proceder à higiene de rotina, quer da prótese quer da boca. O fato de ser removível permite que a prótese tenha um contorno mais natural no seu conjunto, compensando de modo perfeito a perda óssea e consequente retração gengival que tenha ocorrido. Não existe a preocupação de retenção de resíduos alimentares, porque a pessoa pode tirar a prótese e proceder à sua limpeza.








17 visualizações

Siga-nos

 

Oi Clinic 2018

Rua Afonso de albuquerque, 23 B -  Amadora

212 459 346 / 939 106 191